22 de março de 2010

Barrado

Já há algum tempo, tenho dedicado algum espaço aqui no Couro do Cabrito para cobrir shows e outros eventos relacionados a samba. Com o passar do tempo, adquiri um ótimo relacionamento com assessorias de imprensa e produtoras que promovem estes espetáculos. Como foi de ciência de muitos de vocês, neste último sábado ocorreu o show do Paulinho da Viola (Acústico) no Credicard Hall, e eu me pautei para cobrir este evento, certamente de grande interesse do meu público.

Infelizmente, fui sumariamente desprezado pela assessoria do estabelecimento e lamentavelmente tive que deixar meus leitores na mão. No entanto, vou expor nestas linhas a falta de consideração e total desdém ao qual o Couro do Cabrito, veículo de resistência da cultura popular - que não compactua com tradicionais coberturas à base de jabá e troca de favores - foi submetido.

O Credicard Hall, ao contrário de ótimos teatros e estabelecimentos culturais onde se realizam shows, é um lugar “para ver e ser visto”. Um lugar onde, à preços exorbitantes, você pode ficar papeando à vontade, tomando sua dose de whisky escocês, sem dar atenção e respeito ao artista. Não é um local onde o sambista poderá se apresentar ao seu público. Tanto é que este veículo especializado em samba não pôde entrar no estabelecimento.

Ao tentar efetuar o credenciamento para a cobertura do show não esperava ser vítima de preconceito. Preconceito pelo fato deste veículo ser um blog, preconceito pelo fato de não ser um repórter da grande mídia e preconceito - talvez - pelo fato de ser um jornalista de samba e não um repórter de colunas sociais, muito mais bem ambientados num local onde reina a “pagação”. O assessor de imprensa sequer analisou o conteúdo do blog e sequer teve a preocupação de me retornar, avisando que eu estava fora da festa.

Espero que da próxima vez haja bom senso e a produção de lendários e divinais sambistas como Mestre Paulinho não repitam o erro de se apresentar em locais onde os sambistas tenham de ficar de fora, com isso privando seus leitores de uma resenha crítica do evento.

6 comentários:

Anônimo disse...

Lamentável.
Mas não desista, nós continuaremos aqui.
Carol Lopes

Jussara disse...

Fez muito bem em escrever e deixar registrado que tem lugares que escorregam e fazem da musica popular um evento elitista e burocrático! Coisas de espíritos pequenos... Continuarei acompanhando este blog, veículo de propagação da boa música, feito com carinho e com a devida atenção que o samba merece! Seu trabalho é lindo!

disse...

Pra mim samba é música popular e quando sai disso perde sua essência e afasta quem verdadeiramente o ama.
Vida longa para O Couro do Cabrito!
Força André!

Vinicius disse...

É de se esperar de um espaço que se interessa por artistas que movem massas, sem tempero, massa de miojo, sem gosto, muita gordura e pouco nutriente. Força, foco e fé, Grande Dressas!

Anônimo disse...

Liga não André,pra nós do samba o Couro do Cabrito é muito mais que um credicard hall da vida!Continue firme que estamos contigo..

Bigode disse...

Piruca, na próxima vez, diga à assessoria do Schin Hall que você é do fã clue do artista - do jeito que o mundo anda banal, é mais fácil te deixarem entrar assim.

Que fase!

Abraço

Creative Commons License
O Couro do Cabrito by André Carvalho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at www.creativecommons.org.br.