2 de outubro de 2008

Voz do Morro (Geraldo Pereira - Moreira da Silva)

GRANDES BRASAS DA HISTÓRIA
Geraldo Pereira já era tão conhecido no asfalto quanto no morro. Seu nome já se encontrava estampado em diversos discos de 78 rpm, assim como em diversas partituras, vendidas nas casas musicais do Rio de Janeiro. Ao mesmo tempo, em Mangueira, ele era um respeitado compositor da Estação Primeira.

Em 1942, ele lançou no terreiro um samba sobre a Praça Onze que logo contagiou a todos. No mesmo ano, no dia 1º de outubro, seu "parceiro" (entrava nas parcerias, mas não compunha nada) e intérprete Moreira da Silva gravou o tal samba, que se chamava "Voz do Morro" na Odeon. Em depoimento aos autores do livro "Um certo Geraldo Pereira" (Funarte). Moreira diz:

"Esse samba para mim é um desconhecido anômimo. Meu nome taí mas eu não me lembro desse A voz do morro de jeito-maneira nenhuma."

No começo do ano seguinte, saiu o disco e logo o samba já estava nas rádios.

Entretanto, existia uma política dentro das escolas de samba que dizia que apenas sambas inéditos poderiam ser cantados no terreiro. E quando o presidente da Mangueira, Angenor Mulatinho, e o mestre de harmonia, Cartola descobriram que o samba já tinha sido gravado, proibiram as pastoras de cantá-lo. Geraldo Pereira ficou aborrecido e passou a ir cada vez menos ao terreiro da Verde Rosa.

"Esse samba sobre a Praça Onze o Geraldo fez e trouxe para a Estação Primeira da Mangueira. O samba estava até pegando na quadra. mas aí descobriram no morro que o samba já estava gravado, porque estava tocando nas rádios. Como samba de quadra tinha que ser 'virgem'. Seu Angenor de Castro, que foi presidente da escola quatro anos, proibiu a execução do samba na quadra. O Geraldo ficou muito aborrecido, mas teve que cumprir a ordem. Naquele tempo, samba de quadra não podia ser gravado, era só da escola."
(Nelson Sargento)

Em 2006, Tantinho regravou a obra-prima.

Voz do Morro (Geraldo Pereira - Moreira da Silva)

Sabemos que já que já acabou a Praça Onze
E que as escolas de samba não saem
Mangueira, já participou a Portela
E esta retransmitiu para Salgueiro e Favela
Preparem seus tamborins
A Praça Onze Acabou mas ós temos onde brincar
Por isso não vamos chorar

Desce a Estação Primeira com seu conjunto de bamba
Portela e todas as escolas de samba
Mesmo sem Praça todos hão de ver
Que as escolas não deixaram de descer
A Praça Onze acabou mas nós temos onde brincar
Por isso não vamos chorar

1943 - gravado por Moreira da Silva em disco de 78 rpm - Odeon

2006 - gravado por Tantinho no disco "Memória em Verde Rosa" - Independente

Um comentário:

Angélica Lequerica disse...

Ei bamboooo! Pra variar isso aqui tá muito bom!
Aparece!
Bjs

Creative Commons License
O Couro do Cabrito by André Carvalho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at www.creativecommons.org.br.