15 de fevereiro de 2007

Wilson Moreira - Peso na Balança (1986)

A primeira vez que escutei um samba de Wilson Moreira foi na roda de samba. Foi o samba Senhora Liberdade. Pouco depois, escutei o disco Partido em 5 volume 1. Gostei de sua participação e de seus sambas. Algum tempo depois, descolei o legendário LP A Arte Negra de Wilson Moreira e Nei Lopes. Pronto. Foi o suficiente para eu tornar-me fã do “Alicate”. Suas composições são extremamente poéticas e sua levada é muito boa, cadenciada. Logo conheci mais de sua obra, inclusive o outro disco em parceria com Nei (O partido muito alto de Wilson Moreira e Nei Lopes), seus dois CDs solos (Okolofé e Entidades I), além de outras participações em antigos LPs. Só não conhecia seu disco solo de estréia Peso na Balança...

Logo descobri que este álbum só existia em LP ou CD importado. Estranhei. Como pode um CD de um artista brasileiro ser importado? Pode sim. Quando a indústria fonográfica nacional não valoriza seus talentos, é preciso um japonês - o produtor artístico Katsunori Tanaka - para que pérolas, como o disco Peso na Balança, pudessem ser gravadas.

Depois de muita busca, consegui achar o disco para baixar na Internet. Escutei pensando que seria um ótimo disco, como todos do Wilson. Qual foi a minha surpresa quando vi que se tratava do melhor álbum solo do Alicate. Uma preciosidade. O violão de Raphael Rabello permeia os sambas com muita categoria. Arranjos primorosos. E as composições do mestre... Divinais.

A única que eu já conhecia é a clássica Deixa Clarear. Conheci nas rodas de samba das Perdizes. Aliás, há uma infinidade de samba que eu conheci nos pagodes antes de escutar em disco ou em CD (ou mp3). Desconheço composições do Wilson Moreira que não sejam fortemente carregadas da mais bela poesia. Um dos maiores poetas do samba, com palavras sábias. A letra de Deixa Clarear é ao melhor estilo Wilson Moreira. Assina a composição, também, seu mais constante parceiro, Nei Lopes

Deixa Clarear (Wilson Moreira e Nei Lopes)


Ainda é madrugada, deixa clarear
Deixa o sol vim dourar os cabelos de aurora
Deixa o dia lá fora cantar a canção dos pardais
É cedo meu amor, fica um pouquinho mais
Ainda é madrugada, chega mais pra cá
Espera clarear

Deixa que o sol nos encontre no arco do amor
E chorando de inveja vai morrendo de dor, se for
Só quando a lua no céu se deitar para dormir
No seu leito de estrelas é hora de ir, de ir
Mas quando o sol se ofuscar na luz do seu olhar
É melhor outra vez esperar clarear, clarear.


Wilson fundou a Ala de Compositores da Mocidade Independente de Padre e tem até um samba em homenagem à sua primeira escola. Mas ele é Portela. Mais um grande compositor da Azul e Branco. Seu samba Portela e seus encantos é um verdadeiro hino:

Portela e seus encantos (Wilson Moreira)
Dá gosto a gente ouvir
Faz lembrar os bons tempos da Jaqueira
João da Gente cantava bem alto
Tenho recordação do velho Ventura
Paulo da Portela, Rufino, Caetano e seu Alcides já falavam:
Essa escola vai vencer
E afirmaram: é a Portela, sinhô
Fico todo prosa quando vejo as baianas
Estilo de um carnaval

Velha Guarda, seu nome é tradicional
Portela, clamo tanto a sua vitória
Sinto em você todas as raízes
A sua história condecora muitas glórias nos anais
Gosto de lembrar seus lindos cantos
Tem gente antiga e cantam sambas de verdade
Você é minha vaidade e tenho como ideal
Lindos sambas no terreiro nos trazem emoção
Seu carnaval desperta o mundo inteiro



Se eu fosse transcrever todas as letras belas e poéticas do Peso na Balança, iria ter que transcrever todas. Mas tem um samba que é emocionante de tão belo. Que poesia de amor! Mais uma vez, com seu inseparável parceiro Nei. Que parceria!!!

Quero você (Wilson e Nei)

Será, ô, será que você ainda não percebeu
A modificação que me ocorreu?
Será, ô, será que você não vê pelo meu olhar
Que nada neste mundo vai calar
Minha vontade de dizer
Que eu amo você
Amo você, quero você
Se eu pudesse ir ao fundo dos mares do mundo
Pra buscar tudo no mar
Pra te ofertar
Se eu pudesse ir ao céu e trazia o luar
Só pra te dar

Get this widget Track details eSnips Social DNA


Quando será que a música popular brasileira vai começar a valorizar o mestre? Será que vão esperar ele morrer? Espero que não. Ele merece as flores em vida.

Avaliação: ***** (excelente)

6 comentários:

Anônimo disse...

Acho que a primeira composição dele que conheci foi Coisa da Antiga na alegre interpretação de Clara Nunes. Vou começar a fazer uma lista de dicas preciosas deste blog. A primeira busca será "Peso na balança".
Ia desejar um belíssimo carnaval, mas pelo jeito vc já está muito bem acompanhado e encaminhado no samba de primeiríssima categoria :)
Beijo. Deborah

Barry disse...

Andre parabens no seu blog, vi o link no orkut.

Por coincidência eu estava escutando este disco hoje pela menhã, pensando, "Puxa, isso deve ser um dos melhores discos de samba de todos os tempos, e ninguém fala muito dele..."

Apesar que aqueles que você destacou, eu queria destacar também "Ja diz o velho ditado," gravação de categoria...

abraços
Barry

Anônimo disse...

Olá André, parabéns pelo blog!.

Se você tiver de bobeira dê uma chegada na choperia do sesc pompéia hoje às 21h, o grupo carioca Galo Cantô estará lá. de Graça.

Você é de Perdizes? Onde tem samba bom por aqui?
Trabalho em frente ao Unibanco, vamos combinar qualquer dia desses de beber um chope no Krystal.
Meu e-mail é leomarx#hotmail.com.

Leonardo disse...

Barry é meu parceiro de Orkut também, sempre curtindo coisa boa. Parabéns!.

BIgode disse...

Alicate é Gênio. Grande aperto de mão, forte como sua poesia.

Vai Wilson! Chega fundo no coração de quem te ouve. Chega forte com aperto de mão marcante e melodia refinada.

Levanta seu braço e canta (meu filho de 11 meses faz igual, parece até que já sabe)

Que coisa linda sua arte, Alicate!

javi brasil disse...

Oi...Eu sou espanhol casado com brasileira e morando em Madri, na Espanha, e eu decidi escolher esta maravilosa musica do Wilson Moreira para dar de presente amanha, dia dos namorados ai no Brasil, à minha amada, aqui, tao longe da terrinha.

Axe pra voces

Javi Brasil
Guadarrama-Madri (Espanha)

Creative Commons License
O Couro do Cabrito by André Carvalho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at www.creativecommons.org.br.