14 de julho de 2008

Ingrata Solidão (Geraldo Babão)

GRANDES BRASAS DA HISTÓRIA

Conheci este samba na apresentação que o Terreiro Grande fez em São Paulo no Teatro FECAP ano passado. Pouco depois, achei o
vídeo deles tocando a música no Youtube e comecei a cantar o explosivo samba nas rodas. Para minha surpresa maior, fuçando nuns discos velhos meus, achei a pérola num disco do Zuzuca, dos anos 70. Brasa!!!!

O samba Ingrata Solidão, do genial compositor salgueirense Geraldo Babão, é daqueles que levantam uma roda de samba. O coro ("soooooooooooolidão") canta junto com força esse samba, um tanto desconhecido da maioria, mas clássico, genial, sublime...

Ontem, descolei um belo disco do Salgueiro, da Ala dos Compositores (valeu, Frank!) e tomei um susto quando vi que tinha uma versão ótima do Zuzuca, mandando muito bem, cheio de malemolência no cantar. Compartilho com vocês o samba e ainda deixo
um link para vocês ouvirem o Terreiro Grande tocando a música em Paquetá.

Ingrata Solidão (Geraldo Babão)

Solidão (solidão)
Por que tanto me persegue
E não me deixa de mão
Solidão
Te considero em minha em vida
A pior tentação
Solidão (solidão)
Eu ainda espero um dia
A felicidade invadir meu coração

Eu vou lhe mandar embora
Ô ingrata solidão

Depois que conseguir tudo o que quero
Quem há muito eu espero
Não sentirei mais paixão
Vou sufocá-la num beijo
Que é todo o meu desejo
Te esquecerei solidão

2 comentários:

Noel disse...

Esse samba é muito bom... Eu o conheci no show do pessoal do Terreiro na Fecap e fiquei maluco. Vivo cantando essa obra prima. E o Bocão cantando: "Eu vou te mandar embora!!!" no show é inesquecível...

Praça XI disse...

E o Carlinhos no Bandoca?

Lingdo!

Creative Commons License
O Couro do Cabrito by André Carvalho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at www.creativecommons.org.br.