2 de abril de 2008

25 anos sem Clara Nunes


Lá se vão 25 anos... Na manhã do dia 2 de abril de 1983, o Brasil perdia Clara Nunes, a nossa Guerreira do Samba.

Foi ela quem quebrou o tabu de que mulher não vendia discos.

Foi ela quem conquistou o Brasil nos anos 70. Com ela o samba estava em evidência.

Quanta falta faz para nós Clara Nunes. Com ela, teríamos mais uma representante digna do samba. Não precisaríamos forjar cantoras de samba, como lamentavelmente ocorre na data presente.

Por um capricho do destino, perdemos nossa maior sambista. Sim, porque não havia e jamais haverá cantora de samba como Clara. Alguém que respirava o samba da maneira mais pura possível.

Era ela a madrinha da Velha Guarda da Portela. Era ela puxadora de sambas-enredo da Portela. Uma portelense.

Clara Nunes. Um ser de luz. A mineira guerreira.

Poderia deixar com vocês um samba cantado por ela, mas vou colocar aqui as duas belas homenagens feitas a ela.

Flor do Interior (Manacéa)

A Velha Guarda da Portela
Chorou, chorou
Até hoje ainda chora
Sua madrinha foi embora
Só a saudade que ficou

Foi triste a despedida
Da Flor Clara do interior

No calor da alegria
No mundo da fantasia
Ela sorria
Sua beleza exuberante
Não esqueço um só instante
Sua magia

Era a Guerreira do samba
Nascida em Minas Gerais
Não esqueceremos jamais






Um ser de luz (João Nogueira - Paulo César Pinheiro - Mauro Duarte)

Um dia um ser de luz nasceu
Numa cidade do interior
E o menino Deus lhe abençoou
De manto branco ao se batizar
Se transformou num sabiá
Dona dos versos de um trovador
E a rainha do seu lugar
Sua voz então ao se espalhar
Corria chão, cruzava o mar
Levada pelo ar
Onde chegava espantava a dor
Com a força do seu cantar

Mas aconteceu um dia
Foi que o menino Deus chamou
E ela foi pra cantar
Para além do luar
Onde moram as estrelas
A gente fica a lembrar
Vendo o céu clarear
Na esperança de Vê-la, sabiá

Sabiá
Que falta faz tua alegria
Sem você, meu canto agora é só
Melancolia
Canta, meu sabiá, voa, meu sabiá
Adeus, meu sabiá, até um dia




2 comentários:

Ricardo disse...

Obrigado por nos lembrar de Clara Nunes. Não se tem visto ou ouvido suas interpretações na mídia. Êta povinho desmemorizado!

Sol disse...

Tudo de bom essa idéia de colocar os sambas em homenagem a clara nunes, são super difíceis de achar!!!

Creative Commons License
O Couro do Cabrito by André Carvalho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at www.creativecommons.org.br.